Homem de Espera Feliz é assassinado e jogado em açude
Banner
Banner
Homem de Espera Feliz é assassinado e jogado em açude

    A Polícia Militar de Espera Feliz desvendou na sexta-feira (14/04) um crime ocorrido no início deste mês. O corpo de um jovem que estava desaparecido desde o início do mês foi localizado no Instituto Médico Legal de Cachoeiro do Itapemirim (ES).

    No dia 02, a mãe de Mirlone Basilo Vieira, 27 anos, procurou a Polícia Militar e registrou o desaparecimento dele. A mulher contou também que populares contaram que seu filho estava preso, mas ela foi até a delegacia e também não o encontrou.

    Depois de muita procura, nesta sexta-feira, ela voltou até a Polícia Militar e contou que descobriu que seu filho foi atropelado na rua Carangola, em Espera Feliz, no dia 02.

    Os policiais militares então levantaram que no mesmo dia, um homem de 37 anos, procurou a PM e registrou ocorrência de que havia sido lesionado pelo rapaz desaparecido. As características dele e de seu carro batiam com o relato sobre o atropelamento. Segundo o Portal Caparaó apurou, imagens de câmeras de segurança analisadas pela PM corroboraram para os levantamentos.

    Testemunhas contaram que viram o motorista atropelar, voltar e colocar a vítima no banco de trás, ajudado por um passageiro.

   Atropelamento

     O suspeito foi localizado e confessou que atropelou a vítima. Segundo ele contou aos policiais, ele que passava pela rua Carangola quando inesperadamente deparou com a vítima em sentido oposto.

     Ainda de acordo com o relato do suspeito, a vítima bruscamente levou a mão a cintura. Imaginando que estava armada e que ia atirar, devido tratar-se de pessoa perigosa, com vários registros de envolvimento em crimes de diversas naturezas, utilizou o veículo que dirigia para atropelar e cessar a reação de Mirlone. Ele alegou que o passageiro, que é seu empregado, foi deixado depois numa rua próxima.

    Após o atropelamento e com o corpo da vítima no banco de trás, o suspeito foi para o estado do Espírito Santo.

     O suspeito e o empregado foram conduzidos presos para a delegacia.

    Açude

    De acordo com o delegado responsável pelas investigações, o corpo de Mirlone foi encontrado na tarde de quinta-feira (6), boiando em um açude, às margens da BR 482, em Guaçuí. A vítima estava sem documentos e não havia nada que pudesse ajudar a descobrir sua origem.

   Foi identificado um corte na cabeça da vítima, além de um corte extenso e profundo na barriga. Para a Polícia Civil capixaba, o corte no abdômen pode ter sido feito para evitar que o corpo boiasse, porém, as vísceras incharam e emergiram, puxando o corpo para a superfície do açude.

   A vítima também foi encontrada com as mãos e os pés amarrados e um peso preso ao pescoço.

    Acesse nosso parceiro – Portal Caparaó
 
 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner